Pelo décimo ano consecutivo, o pódio de reclamações ficou com os planos de saúde; desde 2008, o segundo e terceiro lugares estão com as áreas de telecomunicações e setor financeiro

Aproveitando que em março comemora-se o Dia Mundial do Consumidor, o Idec divulga o balanço dos números de seu atendimento em 2009, que, embora referentes apenas às demandas dos associados do Instituto, refletem a realidade dos consumidores brasileiros.

No ano passado, os setores mais reclamados ao Instituto foram os mesmos dos últimos anos. Como já era de se esperar, o tema mais procurado foi planos de saúde, que completa uma década no topo do ranking. O segundo assunto mais reclamado, como em 2008, foi a área de telecomunicações; a terceira posição ficou com o setor financeiro.

Até 2007 as posições na terceira e quarta colocações no ranking de atendimentos estavam invertidas, com os bancos à frente do setor de telefonia. O setor de produtos ficou na quarta posição das reclamações dos associados em 2009.

No ano passado, esses quatro temas somaram mais de 67% da demanda de atendimento, que reuniu 6.104 queixas relacionadas a problemas de consumo. Outras 6.502 solicitações foram referentes às ações judiciais que o Instituto sustenta.

Planos de saúde
No ano em que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) faz dez anos, o setor de planos de saúde completa também uma década consecutiva na liderança do ranking de queixas feitas ao Idec, sendo responsável, no ano passado, por 22,38% das solicitações.

As queixas sobre esse assunto estão divididas em dois grupos de problemas que não deveriam ocorrer caso a atuação do órgão federal fosse mais voltada às necessidades do consumidor: os reajustes abusivos (incluindo-se reajustes anuais, reajustes por aumento de sinistralidade e reajustes por mudança de faixa etária) e as negativas de cobertura (exames, cirurgias, próteses e órteses etc).

Outra questão que rendeu muitas reclamações em 2009 foi a “saúde financeira” das operadoras de planos de saúde. Destaque para a quebra da Avimed, que resultou na proposição de Ação Civil Pública pelo Idec ano passado, em função da qual a Justiça concedeu liminar, até hoje em vigor, que garante a mudança de usuários da Avimed para outras operadoras – além de Itálica e Ana Costa – sem a necessidade de serem cumpridas novas carências.

Além da ação judicial, o Idec também atuou em outras frentes na área de planos de saúde. Apesar de questionar a própria existência de um rol delimitado de coberturas obrigatórias, o Instituto enviou, em outubro de 2009, sugestões para a Consulta Pública 31/09 da ANS. Alguns pontos defendidos pelo Idec foram atendidos, como a inclusão do pet-scan oncológico e o transplante de medula óssea doada por terceiro.

Saiba mais: Acesse o IDEC:

Anúncios