O atendimento a população idosa é gravemente prejudicado pela falta de profissionais especializados em geriatria e gerontologia. Sem os cuidados devidos, o risco de uma avaliação de saúde incompleta é maior.

Dos 20 milhões de idosos brasileiros, cerca de 25% têm a saúde fragilizada por problemas físicos ou cognitivos (5 milhões no total). “O ideal seria ter um geriatra para cada grupo de 563 idosos. Mas faltam no país cerca de 8.800 profissionais”, afirma João Carlos Barbosa Machado, presidente do XVII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, que acontece entre 28 e 31 de julho, em Belo Horizonte (MG).

Saiba Mais no site Último Segundo/IG AQUI!