Fonte: Agência Câmara

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 7708/10, do deputado Renato Amary (PSDB-SP), que reconhece a ultrassonografia como especialidade médica. O autor da matéria argumenta que a mudança é necessária porque o ultrassom é pouco ensinado nas faculdades de Medicina. “Não há tempo suficiente para o ensino de conceitos básicos de ultrassom. Os especialistas saem sem noção do alcance do exame no diagnóstico e sem saber qual tipo de ultrassom indicado para cada paciente”, argumenta Amary.

O parlamentar também reclama da falta de especialização adequada dos profissionais que trabalham com ultrassom. “A maior parte dos ultrassonografistas não vêm da radiologia e sim de outras especialidades clínicas e cirúrgicas, formados em cursos paralelos de ultrassom, muitas vezes insuficientes para uma boa formação”, avalia.

Presença de médico

Amary lembra que o exame de ultrassom é, dentro da área de radiologia, a única modalidade que depende da presença do médico. Nas demais, o técnico faz as imagens do paciente e o radiologista avalia posteriormente e dá o laudo do exame.

“O exame depende muito do operador, pois só se obtém as imagens dos locais em que o médico passar o aparelho. Por isso, o médico deverá ter uma boa formação para não deixar escapar informações importantes”, explica o deputado.

Fonte: Agência Câmara

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 7708/10, do deputado Renato Amary (PSDB-SP), que reconhece a ultrassonografia como especialidade médica. O autor da matéria argumenta que a mudança é necessária porque o ultrassom é pouco ensinado nas faculdades de Medicina. “Não há tempo suficiente para o ensino de conceitos básicos de ultrassom. Os especialistas saem sem noção do alcance do exame no diagnóstico e sem saber qual tipo de ultrassom indicado para cada paciente”, argumenta Amary.

O parlamentar também reclama da falta de especialização adequada dos profissionais que trabalham com ultrassom. “A maior parte dos ultrassonografistas não vêm da radiologia e sim de outras especialidades clínicas e cirúrgicas, formados em cursos paralelos de ultrassom, muitas vezes insuficientes para uma boa formação”, avalia.

Presença de médico

Amary lembra que o exame de ultrassom é, dentro da área de radiologia, a única modalidade que depende da presença do médico. Nas demais, o técnico faz as imagens do paciente e o radiologista avalia posteriormente e dá o laudo do exame.

“O exame depende muito do operador, pois só se obtém as imagens dos locais em que o médico passar o aparelho. Por isso, o médico deverá ter uma boa formação para não deixar escapar informações importantes”, explica o deputado.

Anúncios