Estima-se que, em todo o País, 160 mil profissionais participem do movimento, suspendendo consultas e exames como forma de alerta contra os baixos honorários. 

Associações e sociedades de especialidades, conselhos de medicina e sindicatos médicos organizaram uma série de atividades em 7 de abril para marcar o movimento de protesto contra os abusos praticados pelos planos de saúde. A preocupação é usar o dia para alertar a sociedade para os problemas apontados pelos profissionais. Serão reuniões, assembléias, passeatas e coletivas que ajudarão a dar visibilidade à paralisação. Outra meta é usar cada um desses espaços para discutir com os profissionais os próximos passos na busca de uma solução para o impasse. Confira abaixo, a programação prevista em cada um dos estados:

Alagoas – O Conselho Regional de Medicina de Alagoas distribuirá equipes nos diversos locais de atendimento médico, hospitais, centros médicos, clínicas, consultórios e laboratórios de exames de diversas especialidades. Carros de som esclarecerão o motivo do protesto dos médicos à população. Haverá manifestação em frente aos escritórios das operadoras de plano de saúde no Estado. Também serão usados panfletos e faixas. O trabalho acontecerá em parceria com o Sindicato dos Médicos e Sociedade de Medicina de Alagoas. Está prevista uma coletiva durante o dia.

Amapá – No Amapá a classe médica vai se reunir durante toda a quinta-feira, a partir das 8h da manhã, na sede do Conselho Regional de Medicina do Estado do Amapá (CRM-AP) para debater a interferência dos planos de saúde na autonomia médica e a remuneração dos honorários. A partir das 19h, no mesmo local, será realizada uma assembléia com a participação de presidentes das associações e sociedades de especialidades, além da classe em geral.

Bahia – Em 6 de abril, véspera da paralisação, a Comissão Estadual de Honorários Médicos atenderá à imprensa baiana em uma coletiva agendada para as 10h30, no auditório da Associação Baiana de Medicina (Rua Baependi, Nº 162, Ondina, Salvador). No dia 7 de abril, às 16h, ocorrerá uma Assembléia Geral dos Médicos sobre Planos de Saúde na sede da Associação Baiana de Medicina, em Salvador. A Comissão Estadual de Honorários Médicos estará de plantão durante o dia no local para receber e orientar os profissionais da categoria. A preocupação é reforçar o protesto. Durante o mês de março, houve a distribuição de “Carta aberta à população” com explicações sobre o movimento. Também foi realizada uma campanha com envio de e-mails aos médicos, sociedades de especialidades, além de publicação de anúncios em jornal de grande circulação, rádio, cartazes e busdoor.

Distrito Federal – Esta previsto Ato Público com objetivo de reforçar a união da classe e mostrar para a população e a imprensa a pauta de reivindicações. A concentração será às 9h, no Centro Clínico Sul, em Brasília.

CEARÁ – o Sindicato dos Médicos do Estado do Ceará organizará um café da manhã com os membros das sociedades e cooperativas médicas, seguido de entrevista coletiva com o presidente do SIMEC, José Maria Pontes. O evento acontecerá às 10 horas da manhã, no Auditório do SIMEC (Rua Pereira Filgueiras, 2020 – Sala 901 – Aldeota).

Goiás – No dia 6 de abril, haverá entrevista coletiva do presidente do Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego), Salomão Rodrigues Filho, na sede do Conselho. No dia 7, pela manhã, diretores e conselheiros do Cremego se reunirão com representantes de sociedades de especialidades médicas e atenderão a imprensa e orientarão médicos e a população.

Mato Grosso – O Conselho Regional de Medicina do Mato Grosso (CRM-TO) será sede de Fórum sobre Honorários Médicos, no dia 7 de abril. Os médicos do estado debaterão a agenda de reivindicação da categoria. O encontro – que iniciará às 8h00 – também tem apoio do Sindicato e Associação do Mato Grosso. O CRM fica na (Rua 08 s/nº Centro Político Administrativo, Cuiabá.

Mato Grosso do Sul – As entidades médicas do Mato Grosso do Sul farão uma coletiva de imprensa às 7h30, no Conselho Regional de Medicina do estado (Rua Desembargador Leão Neto do Carmo 305, Jardim Veraneio – Campo Grande).

Pará – Está programada a realização de Assembleia Geral dos médicos, sociedades e cooperativas na quarta-feira (6 de abril). O encontro será às 19h00, no auditório do Conselho Regional de Medicina. No dia 7 ocorrerá uma manifestação com concentração na frente do CRM-PA, a partir das 8h00.

Paraíba – Os médicos paraibanos têm agenda no próprio dia 7. Ocorrerá uma mobilização dos médicos, às 7h, na praia de Tambaú, em João Pessoa. No fim da manhã, representantes das três entidades (Conselho Regional de Medicina, Sindicato dos Médicos e Associação Médica da Paraíba) concederão uma entrevista coletiva.

Paraná – As atividades de 7 de abril estarão concentradas na sede da Associação Médica do Paraná (AMP), em Curitiba. O início das atividades está previsto para as 8h30, com um café de boas vindas. Durante o dia, devem acontecer palestras e debates sobre temas como contratos com operadoras, descredenciamento individual e desvinculação da consulta médica dos planos de saúde. Á tarde, deve acontecer entrevista coletiva, sendo que ao fim do dia haverá manifestação pública com a participação dos médicos.

Pernambuco – Os hospitais e clínicas que apoiam o movimento serão envolvidos com faixas da paralisação. 10 mil panfletos serão distribuídos para a população para justificar a mobilização. No dia 7 as entidades médicas receberão deputados, vereadores em café-da-manhã. Uma coletiva será realizada para explicar as reivindicações da categoria. Ás 12:30h, os médicos promoverão uma apresentação de “Flash Mob” na praça de alimentação do Edifício Thomas Edison (Av. Agamenon Maalhaes, Derby/Recife)

Piauí – No dia 7 de abril, os médicos e as entidades do Piauí se reunirão em assembléia na sede do Sindicato Médico do Piauí (Rua Paissandu, 1665 – Centro). O encontro está confirmado para as 7h. Posteriormente a categoria visitará hospitais de Teresina, capital do estado.

Rio de Janeiro – As entidades médicas do Rio de Janeiro decidiram promover uma manifestação em frente ao Centro de Convenções Sul América, na Cidade Nova, onde estará em curso o Congresso Estadual de Ginecologia e Obstetrícia. A concentração será no dia 7, às 12h00. Também está previsto um ato político, na abertura do evento, às 17h00, com a presença das entidades e médicos conveniados.

Rio Grande do Sul – O estado está atendendo a imprensa e divulgando para a população a importância do movimento.

Rio Grande do Norte –programação inicia às 8h com uma manifestação, acompanhada de carro de som, panfletagem e palavras de ordem na Praça 7 de setembro, no centro de Natal. Logo em seguida, às 10h, será realizada uma audiência pública na Assembleia Legislativa, para discutir a assistência e os problemas do setor de plano de saúde com foco no relacionamento com os médicos envolvendo também, as limitações impostas pelos planos aos usuários.
Durante a tarde a programação continua. E às 14h os médicos visitam hospitais e clinicas para verificar o andamento da paralisação. O dia de paralisação encerra com uma assembléia, às 19h no auditório da Associação Médica, na qual serão traçados os próximos passos do movimento no estado.

Santa Catarina – Está confirmada reunião geral com os médicos na sede da Associação Catarinense de Medicina (ACM), em Florianópolis, em 7 de abril. O encontro, durante o qual acontecerá a avaliação do movimento em nível estadual, acontecerá no fim da tarde, a partir de 17h00.

São Paulo – Os profissionais de medicina de São Paulo farão uma grande passeata na capital para alertar a opinião pública sobre o desrespeito dos planos de saúde à assistência médica, durante a qual serão divulgadas as graves interferências na autonomia e a defasagem inaceitável dos honorários. O ponto de encontro para a caminhada será o estacionamento da Associação Paulista de Medicina (APM), que fica na Rua Francisca Miquelina, 67. A atividade está prevista para 9h30, sendo que todos devem trajar jalecos brancos. A passeata terminará em frente à Catedral da Sé. São aguardados representantes de usuários, hospitais e clínicas, órgãos de defesa do consumidor, parlamentares médicos, acadêmicos de medicina e diversos outros segmentos da sociedade envolvidos na saúde suplementar, além de médicos do Grande ABC, Baixada Santista e região de Campinas.

Sergipe – Será realizada uma entrevista coletiva, às 8h00, na sede do Sindicato dos Médicos com a participação de representantes das entidades da categoria no estado.

Tocantins – O Conselho Regional de Medicina do Estado do Tocantins (CRM-TO), o Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (SIMED-TO) e a Associação Médica do Tocantins (AMT) visitarão, em 7 de abril, os principais espaços de atendimento médico em Palmas: Hospital Osvaldo Cruz, Instituto Ortopédico de Palmas (IOP), Medical Center e Espaço Médico. As entidades decidiram ainda tornar o ato público, por meio dos veículos de comunicação. Uma carta aberta à população será publicada nos jornais falando dos problemas enfrentados pela categoria médica frente às seguradoras e operadoras de plano de saúde.

Fonte : FENAM/AMB/CFM

Anúncios