Os médicos servidores do estado de São Paulo prometem fazer nova paralisação, por 24 horas, no dia 17 de novembro caso o governo não apresente proposta de implementação do piso salarial da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), de R$ 9.188,22, para 20h semanais. O protesto foi definido durante assembleia realizada na tarde de 25 de outubro – Dia de mobilização em Defesa do SUS -, após audiência pública na Assembleia Legislativa.

A categoria estabeleceu o compromisso de procurar os deputados em suas bases para solicitar apoio ao movimento. “Cada médico deve conversar com os deputados em suas regiões de origem, envolvendo-os nessa campanha pela valorização do trabalho médico”, orienta João Paulo Cechinel Souza, secretário de Imprensa do Simesp. Os médicos também prometem engrossar o ato público em defesa das melhorias na saúde, que será realizado na Alesp, no próximo dia 9 de novembro.

Além do piso da Fenam, os médicos servidores pedem o cumprimento da promessa feita pela administração estadual de implantar, ainda este ano, o Plano de Carreira, Cargos e Salários para os médicos (PCCS).

Anúncios