Cinquenta entidades, entre sindicatos e conselhos regionais de odontologia, se reuniram, em Salvador, para definir medidas contra a Rede Unna, que integrou a operação de nove planos odontológicos. Os dentistas conveniados aos planos se queixam da nova tabela imposta, com valores até 65,5% mais baixos. Entre as propostas discutidas está a de questionar juridicamente a fusão operacional dos planos e de fazer uma consulta ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

“Em tese, acredito que se trata de um cartel. Se for o caso, vamos agir juridicamente”, afirma Arnaldo Garrocho, presidente do Conselho Regional de Odontologia (CRO) de Minas Gerais. A Rede Unna integrou a operação de Bradesco Dental, OdontoPrev, Sepao, Prontodente, Rede Dental, Biodent, Care Plus Dental, Dentalcorp e OdontoServ, que juntos respondem por 42% do mercado de planos odontológicos. Para o cliente, nada mudou – até as carteirinhas continuam as mesmas. Já os dentistas tiveram de assinar novo contrato com a Rede Unna, passaram a prestar contas a um só sistema, e receberam nova tabela para o ressarcimento dos procedimentos. E aí se concentram as críticas.

Leia artigo completo no site Estadão.

Anúncios