O mercado de saúde mundial movimenta bilhões de dólares em todo o mundo. No Brasil, esse crescimento foi, em média, de 5% nos últimos cinco anos. Na saúde, os investimentos somaram 3,77% do PIB. Os investimentos do governo por habitante praticamente triplicaram no período. O dinheiro gasto pelos cofres públicos no setor para cada brasileiro saltou de US$ 107 (R$ 214, na conversão atual) por ano, em 2000, para US$ 320 (R$ 640), em 2009. No mundo todo, o investimento estatal quase dobrou. Em 2000, os governos gastavam, por ano, em média US$ 280 (R$ 560), e em 2009, destinavam US$ 549 (R$ 1.098) por habitante.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo todo, o investimento estatal quase dobrou. Em 2000, os governos gastavam, por ano, em média US$ 280 (R$ 560), e em 2009, destinavam US$ 549 (R$ 1.098) por habitante. Considerando todos os gastos com a saúde, não apenas os governamentais, cada brasileiro tem US$ 734 (R$ 1.468) por anos para tratar a saúde. No mundo, a média anual é de US$ 900 (R$ 1.800).

A OMS considera impossível assegurar o acesso de todos aos cuidados mínimos de saúde com menos de US$ 44 (R$ 88) por habitante ao longo de um ano, independentemente da origem do dinheiro.

Fontes: OMS, IPEA,G1

Anúncios