A abertura do consultório próprio é o sonho de todo recém-formado em medicina. Normalmente, nesta situação, o profissional médico divide seu tempo de serviços entre vários empregos e a participação na utilização de consultórios médicos com outros profissionais.

O segundo passo sonhado é a criação da clínica médica onde o profissional contará, além dos seus serviços médicos, de serviços complementares e realização de vários exames. Neste caso, ele poderá ser o sócio de outro médico ou então ser sócio de uma outra pessoa não necessariamente da mesma classe profissional.

A abertura de uma clínica médica envolve diversos aspectos constitucionais, jurídicos, técnicos, normativos e operacionais. A montagem de uma clínica médica deve atender além das normas da Anvisa e do CFM, os ritos constitucionais de empresas na Junta Comercial. Quanto ao seu funcionamento técnico a atividade médica deve ser regida pelo Código de Ética Médica.

A grande dúvida do médico recém-formado é exatamente saber dimensionar a sua clínica médica dentro dos aspectos mercadológicos. Isso se valida porque em muitos casos para o perfeito sucesso do negócio faz-se necessário oferecer não somente as especialidades médicas mais procuradas, mas também os serviços médicos complementares e exames mais usuais. Daí a importância de se estabelecer o plano de negócio antes de se abrir uma clínica médica.

Estudos mercadológicos recentes demonstram que o antigo modelo de policlínica médica não apresenta uma boa rentabilidade devido ao fato de que sua clientela é massivamente oriunda de clientes de planos de saúde (mais de 90%). Por conta disso a sua lucratividade é muito pequena. Infelizmente, o modelo de policlínica médica focado em clientela de planos de saúde não apresenta lucratividade significativa. Na maioria dos casos, neste último tipo de clínica médica, a taxa de lucratividade real jamais ultrapassa 4%.

Por outros extremos dessa situação se ver relevantes sucessos de modelos de negócios médicos destinados para os clientes dos extremos das faixas sociais brasileiras. Ou seja, atualmente no mercado de saúde brasileiro a rentabilidade mais expressiva está nos serviços oferecidos para a clientela das classes sociais A e B (serviços de alto padrão) e para a clientela das classes D e E (serviços médicos populares). Parte da classe C está inserida nesta última clientela. Contudo, a sua maior participação é atualmente na clientela de planos de saúde.

Uma coisa é certa, abrir uma clínica médica precisa de estudos e conhecimentos específicos.

Abrir uma clínica médica popular é então a melhor alternativa para quem quer iniciar atualmente no mercado de clínicas médicas no Brasil. Para quem tem muito capital para investir em saúde a melhor opção a clínica médica de alto padrão. Para o médico recém-formado, antes de montar uma clínica médica, é recomendável a abertura de um consultório médico. Isso porque, neste modelo de negócio o consultório age como um verdadeiro embrião do futuro tipo de negócio médico.

Para saber como abrir uma clínica médica popular, Clique Aqui.

Para saber como abrir um consultório médico, Clique Aqui.

Para saber como abrir uma clínica médica de alto padrão, Conheça os nossos serviços de consultoria!